Estudantes participam de conversa sobre depressão
24 de setembro de 2018 Notícias, Portal
DSC_1723

A Depressão é uma doença psiquiátrica, crônica e, atualmente, muito recorrente, caracterizada por alterações de humor, que provocam, entre outros sintomas, tristeza profunda, baixa autoestima, distúrbios do sono e de apetite. Considerada “o mal do século”, ela não acomete apenas adultos, mas, também, crianças e adolescentes.

Conversa sobre Depressão - Escola Notre Dame Menino Jesus (2)Mas, como surge? Como identificá-la? Quais as formas de tratamento indicadas? Foi para que pudessem compreender essas e outras questões relacionadas à Depressão que os estudantes do 6º Ano do Ensino Fundamental da Escola Notre Dame Menino Jesus participaram, na quarta-feira (12), de conversa com a psicopedagoga escolar, Eleandra da Rosa.

A iniciativa de promover a reflexão acerca da temática surgiu do estudo, durante as aulas de Filosofia, do Mito da Caverna – metáfora criada pelo filósofo grego Platão, para explicar a condição de ignorância em que vivem os seres humanos, que serve como base para compreender a oposição entre o senso comum e o senso crítico. Conversa sobre Depressão - Escola Notre Dame Menino Jesus (1)Afinal, depois de conhecerem a narrativa, os educandos foram desafiados a apontar quais são as ilusões vividas na atualidade e como elas interferem na visão crítica do mundo, ocasionando diferentes problemas sociais – que atingem as pessoas, tanto de forma individual quanto coletiva.

Apontada como possível resultado de tais ilusões, a Depressão foi, então, compreendida a partir da perspectiva clínica, como explica o educador responsável pela disciplina, Alexandre Hahn. Durante o bate-papo com a psicopedagoga, a profissional respondeu às perguntas levantadas pelos estudantes, além de orientá-los sobre as características da doença, ao acometer adolescentes.Conversa sobre Depressão - Escola Notre Dame Menino Jesus (3)

Segundo ela, é caracterizada por um estado de espírito persistentemente irritado, tristonho ou atormentado, que compromete as relações familiares, as amizades e o processo de aprendizagem escolar. Essas mudanças de comportamento, prosseguiu Eleandra, por muitas vezes, não são identificadas, pois são, erroneamente, relacionadas ao ingresso na puberdade. Por isso, enfatizou, a escola cumpre um importante papel no que diz respeito à identificação desses transtornos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>